NOTÍCIAS

03.05.2018
Protesto de títulos tem papel de destaque na recuperação de crédito




Em tempos de recuperação da economia nacional, qualquer forma de recuperação de crédito é bem-vinda para quem desenvolve uma atividade empresarial. Uma dessas ferramentas é o protesto de título. “O protesto tem um custo menor que uma ação judicial, sendo um meio mais eficaz e rápido na recuperação de crédito”, explica a presidente do Instituto de Protesto de Títulos - Seção Pernambuco (IEPTB-PE), Isabella Falangola.

 

 Além da agilidade e praticidade, o protesto possui respaldo em lei, o que o torna um método seguro de cobrança de dívidas. Outro ponto favorável é que qualquer título ou documento que represente uma dívida pode ser protestado, a exemplo de cheques, notas promissórias, contratos de aluguel e mesmo despesas condominiais.

Importante ressaltar que o credor consegue recuperar a totalidade de seu crédito por meio do protesto, sendo ainda reembolsado das despesas que precisou arcar para protestar o título. Diferente do processo judicial, no qual há despesas que geralmente não são reembolsadas, como os honorários advocatícios.

Como protestar – O processo é simples. Basta o credor apresentar o título ou documento de dívida no Cartório de Protestos. Caso não sejam encontradas irregularidades no título apresentado, o processo tem continuidade. Em seguida, é emitida uma intimação que será entregue no endereço do devedor.

Ao receber a  intimação, o devedor tem um prazo de até três dias úteis para comparecer ao cartório e regularizar a situação. “Caso não seja pago no prazo legal, o título será protestado. O protesto é de conhecimento público e somente deixa de existir quando a dívida é quitada”, alerta Isabella, do IEPTB-PE.